Filosofia e Sociologia de volta


Filosofia e Sociologia de volta

Novo currículo: as Ciências Humanas ganham um reforço nas salas de aula do ensino médio com o retorno obrigatório das matérias, retiradas na ditadura militar

Na escola de ensino médio Ana Bezerra de Sá, a Filosofia já é lecionada em todo o ensino médio. 

Escolas de ensino médio das redes pública e privada devem ofertar as duas disciplinas no próximo ano letivo.

Em um momento em que as novas tecnologias são as vedetes do consumo e da produção do conhecimento, as Ciências Humanas entram em cena novamente. Com a inclusão das disciplinas de Filosofia e Sociologia no currículo do ensino médio, a formação humanista é resgatada nas escolas e um acerto de contas é feito com a ditadura militar.

Há 37 anos oficialmente fora dos currículos escolares, as duas disciplinas vêm estimular o pensamento crítico dos jovens estudantes das redes pública e privada. No Ceará, mais de 358 mil alunos, somente da rede pública, deverão contar com as matérias nos três anos do ensino médio, em 2009.

O histórico do magistério dessas duas disciplinas é de irregularidades. Em 1971, no governo de Emílio Garrastazu Médici, elas foram retiradas, sumariamente, das grades curriculares das escolas. Em um período em que pensar diferente era sinônimo de subversão, estimular meninos e meninas a refletirem sobre suas condições como sujeitos pensantes, capazes de agir e atores sociais, era demasiado perigoso.

Com a abertura política, as disciplinas voltaram a fazer parte dos estudos escolares, mesmo que de forma tímida. Em 2001, tentou-se o retorno oficial com um projeto de lei, mas o então presidente Fernando Henrique Cardoso – ironicamente sociólogo – vetou o projeto. Foi somente em 2006, com uma resolução do Conselho Nacional de Educação, que as matérias voltaram aos currículos. No entanto, como a resolução não tem poder de lei, a orientação de incluir Filosofia e Sociologia nas três séries do ensino médio não foi atendida em todo o País.

Somente este ano, o projeto de lei do deputado federal Ribamar Alves, do PSB, do Maranhão, foi sancionado, trazendo de volta, obrigatoriamente, as disciplinas de base humanísticas aos colégios públicos e privados, nas três séries do ensino médio. “A lei vem em um novo contexto e é resultado da luta de várias entidades e professores das duas áreas”, observou Maria do Carmo Walbruni, professora do ensino médio, nas áreas de Filosofia e Sociologia, da Secretaria Básica de Educação do Ceará (Seduc).

Ceará

Em nosso estado, nas 535 escolas públicas de ensino médio, a Filosofia e a Sociologia estão presentes em pelo menos uma das três séries finais da educação básica. Essa realidade, explica Carmo Walbruni, foi construída a partir de uma diretriz da Seduc, que orientou as escolas a adotarem as disciplinas em, no mínimo, uma das séries. “O grande diferencial com a lei será a ampliação da carga horária, o que irá permitir um trabalho mais efetivo”, ressalta.

Apesar da simples presença das disciplinas nas grades escolares já ser um ponto positivo, a carga horária dedicada a elas não é suficiente, na opinião de muitos professores da área. Geralmente, os alunos se dedicam aos conteúdos filosóficos e sociológicos durante uma aula por semana. São 50 minutos em que os professores precisam apresentar temas e abordagens completamente novos que podem nunca mais ser tratados em todo o resto da formação desse aluno.

“É muito difícil nos primeiros meses, porque eles nunca viram os temas. Por isso, temos que dar os conteúdos e mostrar uma aplicação prática”, conta o professor de Filosofia do Liceu Vila Velha, Mauricélio de Oliveira. A carga horária reduzida não interfere apenas na capacidade de aprendizado, ela causa um problema de ordem prática para os professores. Os docentes encontram muitas dificuldades para completar a carga horária de trabalho.

Um professor de Sociologia que tem um contrato de 40 horas semanais precisa de 32 turmas para preencher sua carga horária. Se ele não tiver a sorte de estar lotado em uma escola grande, terá que assumir disciplinas fora de sua área de formação – História, por exemplo -ou então se revezar entre várias escolas, nos três turnos do dia. Na opinião do professor de Filosofia Emanuel Kaúla Santos Machado, a inclusão das novas matérias dá margem para se discutir a reformulação do ensino médio com a proposta de aulas em tempo integral.

Experiência que já é vivenciada pela Escola Justiniano de Serpa. Enquanto a mudança não vem por completo, as adequações para a inclusão das duas disciplinas serão discutidas ao longo deste segundo semestre. A definição da carga horária com número de aulas por semana, a lotação de professores, a possível necessidade de novos profissionais com formação nas áreas e adoção de livros didáticos deverão ser observadas até o início do ano letivo de 2009.

Conforme Carmo Walbruni, a aplicação da lei é imediata, mas a rede precisa de um tempo para se adequar.

FIQUE POR DENTRO

A sociologia pode interessar a todos

Surgida no Século XIX, a Sociologia é uma ciência que estuda o comportamento humano em função do meio e os processos que interligam o indivíduo em associações, grupos e instituições. Enquanto o indivíduo na sua singularidade é estudado pela Psicologia, a Sociologia estuda os fenômenos que ocorrem quando vários indivíduos se encontram em grupos de tamanhos diversos e interagem no seu interior. Contudo, os resultados da pesquisa sociológica não são de interesse apenas de sociólogos. Cobrindo todas as áreas do convívio humano, a Sociologia pode vir a interessar, em diferentes graus de intensidade, a administradores, políticos, empresários, juristas, professores, ao público em geral. Karl Marx (luta de classes), Max Weber (ação racional) e Émile Durkheim (fatos sociais como coisas) são os pilares clássicos do pensamento sociológico.

EUSÉBIO

Escola já conta com as duas disciplinas

A célebre frase de Sócrates, “só sei que nada sei”, já virou piada interna entre os estudantes da Escola de Ensino Médio Ana Bezerra de Sá, do município de Eusébio. O que pode parecer desrespeito é, na verdade, uma demonstração de que os alunos estão, aos poucos, se apropriando dos conteúdos da disciplina de Filosofia e usando estes no cotidiano, dentro ou fora da escola.
A instituição é uma das poucas do Estado que já está dentro do perfil da lei aprovada no último dia dois, pois oferece a disciplina de Filosofia para os três anos do Ensino Médio. A adaptação ficará por conta da disciplina de Sociologia que, atualmente, está sendo ministrada apenas no segundo e terceiro anos do Ensino Médio, em uma carga horária também diferente, com apenas uma aula semanal. Já para os conteúdos filosóficos são destinadas duas aulas por semana.

A unidade funciona nos três turnos, tem 2.350 alunos e há dez anos mantém a Filosofia em seu currículo. Já a Sociologia foi incluída mais recentemente, no entanto, tem o mesmo valor e importância para alunos e direção da escola.
“Enquanto a Filosofia estimula a preocupação com o ser, a Sociologia contextualiza nossos problemas, são disciplinas que já deveriam constar no currículo desde o ensino fundamental ”, observa a diretora da unidade, Marlinda Jataí. “São duas disciplina que servem para melhorar a vida de cada um de nós enquanto sujeitos”, reflete o estudante do terceiro ano, Dayvison Silva.

Sócrates, Platão, Descartes, Rousseau, Marx, Weber e Durkheim. Os grandes autores, seus conceitos e idéias são transmitidos aos aspirantes a pensadores com a ajuda de outros suportes e linguagens que não somente o livro didático. No entanto, uma das grandes dificuldades enumeradas pelos professores na assimilação dos conteúdos dessas áreas é a mesma de outras disciplinas: a interpretação dos textos.
A deficiência que ronda todo a educação básica brasileira se agudiza no ensino de Filosofia e Sociologia. “Não se pode fugir da leitura de textos, mas a interpretação deixa muito a desejar”, diz a professora de Filosofia Clotilde de Castro Vieira. Não se trata da complexidade dos conteúdos, mas de um déficit de aprendizado do ensino fundamental que precisa ser superado no ensino médio.

A OPINIÃO DO ESPECIALISTA

Desafios a superar

Danyelle Nilin
Presidente do Fórum de Licenciaturas em Ciências Sociais – danynilin@yahoo.com.br

A inclusão obrigatória da disciplina de Sociologia era algo que já deveria ter acontecido há muito tempo. A história dessa disciplina é marcada por avanços e retrocessos com a retirada e inclusão nos currículos. Foi uma luta de mais de dez anos que se tornou agora uma vitória. Para os alunos, essa mudança é de grande importância, porque eles irão discutir sobre o cotidiano e sobre os processos sociais.
A partir de agora, vamos ter uma série de desafios. Um deles, que já é vivenciado atualmente, é que mesmo estando presente nos currículos, não há uma padronização da carga horária da disciplina. Uma aula por semana é muito pouco. Outro problema é que, pelo fato de não ser obrigatória, muitos profissionais não têm a formação específica na área de Ciências Sociais, o que torna complicado para os alunos perceberem a especificidade da disciplina.

Essa não obrigatoriedade gerou também a falta de um material didático. Apesar de não ser preciso ter um livro oficialmente para ensinar Sociologia, mas a falta dele dificulta o ensino. Hoje, não temos um levantamento de como anda o ensino da disciplina no Estado. É um objetivo do Fórum fazer esse levantamento através da Secretaria de Educação do Estado (Seduc). O nosso maior desafio é consolidar a disciplina com planejamento e discussões.
Ela não pode se transformar em um conteúdo chato, mas deve ser lecionada de forma viva e dinâmica. A sociedade toda está discutindo essa inclusão. Isso mostra o quão revolucionário é esse momento e queremos que ele seja revolucionário mesmo. A Licenciatura agora irá se revigorar muito. Antes, os profissionais ficavam em dúvida a respeito de onde iriam atuar, agora se abre um leque de oportunidades.

ENQUETE

Alunos aprovam a experiência com as disciplinas

Marcelo Davis Ferreira
18 ANOS
Estudante

A Filosofia e a Sociologia ajudam na compreensão de outras disciplinas. Eu gostei de discutir o individualismo.

Milena Assunção Procópio
14 ANOS
Estudante

Eu estou achando ótimo estudar Filosofia, dá vontade de saber muito mais e a forma como a professora ensina nos empolga.

Fonte: Instituto PNBE de desenvolvimento social

Sobre Denis Wesley

Pode invadir ou chegar com delicadeza Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir... Não grite comigo, eu tenho o péssimo hábito de revidar... Tenha vida própria, me faça sentir saudades... Conte umas coisas que me façam rir... Acredite nas verdades que digo e nas mentiras, elas serão raras, mas sempre por uma boa causa... Respeite meu choro... Deixe-me sozinho, só volte quando eu chamar, e não me obedeça sempre é que eu também gosto de ser contrariado... Invente um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o inverta as vezes... Então: Sou Denis Wesley, muito prazer.

Publicado em 02/03/2011, em Sociologia no Ensino Médio. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: