O que você quer ser aos 40?


O que você quer ser aos 40?

por Você S/A

Publicada em 2/3/2009

Por Renato Bernhoeft

Quando criança, ou até mesmo no período da adolescência, uma pergunta que muitos pais e adultos fazem é: “O que você vai ser quando crescer?”. Mas, com o passar do tempo e o avanço na idade, esta interrogação tende a desaparecer. Simplesmente nos acomodamos com o ingresso no mundo adulto e com o universo do trabalho, priorizando o desenvolvimento da carreira. Na tentativa de alertar os profissionais e executivos, vinculados ao mundo corporativo, para a importância de se apropriarem da sua “biografia”, relaciono abaixo algumas questões que podem ser úteis, em diferentes etapas e papéis que a vida nos proporciona:

‘O preparo para essa fase começa muito antes’

• O que você quer SER quando chegar aos 40 anos de idade? Considere que essa etapa pode representar a fase intermediária do tempo médio da nossa vida, segundo os últimos estudos relativos aos índices de longevidade da população, tanto brasileira como mundial.

• O que você quer SER quando não puder mais desfrutar do sobrenome e prestígio corporativos que a empresa lhe “empresta”? Boa parte dos profissionais e executivos se ilude, imaginando que o prestígio dos cargos ocupados é deles. Alguns só percebem este engano quando constatam que são apenas indivíduos comuns e mortais ao se tornarem nada mais do que um “ex”.

• O que pretendo SER quando minha aposentadoria chegar? A primeira observação importante relacionada a este tema é que não se deve “esperar” que a aposentadoria chegue. O preparo para essa fase deve se iniciar bem antes. Preferencialmente ainda no auge da carreira, quando o entusiasmo com as conquistas profissionais pode encobrir fracassos em outros papéis, como o conjugal, por exemplo. Considere que, quando o papel profissional — vínculo empregatício — diminuir de importância na sua vida, os demais devem emergir como substitutos e vitais. Este conjunto de questões pode servir apenas como um “roteiro” inicial para algumas reflexões. A maior ou menor importância para cada uma delas vai depender da fase de vida em que você se encontra. Aproprie-se da sua história. Para tanto considere seu passado, presente e futuro.

Fonte: Você S/A

Sobre Denis Wesley

Pode invadir ou chegar com delicadeza Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir... Não grite comigo, eu tenho o péssimo hábito de revidar... Tenha vida própria, me faça sentir saudades... Conte umas coisas que me façam rir... Acredite nas verdades que digo e nas mentiras, elas serão raras, mas sempre por uma boa causa... Respeite meu choro... Deixe-me sozinho, só volte quando eu chamar, e não me obedeça sempre é que eu também gosto de ser contrariado... Invente um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o inverta as vezes... Então: Sou Denis Wesley, muito prazer.

Publicado em 16/05/2011, em Vida pós-universidade. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: