Por uma Sociologia da Juventude


Por uma Sociologia da Juventude

INTRODUÇÃO

Compreender a perspectiva sociológica acerca do mundo requer um olhar mais apurado sobre os acontecimentos da vida social. A imaginaçãosociológica nos pede, sobretudo, que sejamos capazes de pensar nos distanciando das rotinas familiares de nossas vidas cotidianas, parapoder vê-las como se fossem algo novo. Por isso, para compreender sociologicamente, é preciso incentivar um olhar que alcanceacontecimentos e sujeitos não como “problemas sociais”, como tantas vezes são percebidos no senso comum, mas avistá-los como “problemassociológicos”.Nesse sentido, ter a juventude ou sujeitos jovens como temas de compreensão sociológica exige também a compreensão do senso comumsobre a juventude. Afinal, quais são as imagens mais comuns sobre a juventude: fase de transição ou momento presente, tempo de liberdadeou de responsabilidades?Alcançar as formas como os jovens são vistos pela sociedade, pela mídia, pelo Estado e outras instituições nos possibilita rasgar os véus dasrepresentações sociais e compreendê-los sob uma nova ótica. Uma aventura que em boa medida depende de nossa disposição para sair dosestreitos limites dos preconceitos e alcançar a possibilidade de desnaturalização dos modos de ser jovem, através de entendimentos sobre asvariadas dimensões da condição juvenil. Nesse texto, vamos discutir alguns temas da sociologia da juventude, problematizando a noção dejuventude, alguns aspectos da realidade juvenil no Brasil (trabalho, educação, mortalidade), as culturas e estilos, sociabilidades e aquestão da participação juvenil na contemporaneidade. Sugerimos que cada um destes temas seja objeto de discussão em uma aula,perfazendo assim uma unidade. No final apresentamos algumas sugestões de atividades a serem desenvolvidas com os alunos.

Mais aqui: http://migre.me/asYTr

Sobre Denis Wesley

Pode invadir ou chegar com delicadeza Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir... Não grite comigo, eu tenho o péssimo hábito de revidar... Tenha vida própria, me faça sentir saudades... Conte umas coisas que me façam rir... Acredite nas verdades que digo e nas mentiras, elas serão raras, mas sempre por uma boa causa... Respeite meu choro... Deixe-me sozinho, só volte quando eu chamar, e não me obedeça sempre é que eu também gosto de ser contrariado... Invente um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o inverta as vezes... Então: Sou Denis Wesley, muito prazer.

Publicado em 27/08/2012, em Sociologia da Juventude. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: