Conselho Latino-americano de Ciências Sociais


O Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (CLACSO) é uma instituição internacional não-governamental, fundada em 1967, que mantém relações formais de consulta com a UNESCO. Atualmente reúne um total de 320 centros de pesquisa e mais de 600 programas de pós-graduação em Ciências Sociais (mestrado e doutorado), com base em 25 países da América Latina e Caribe, EUA e Europa. Os objetivos do Conselho são a promoção e o desenvolvimento da pesquisa e do ensino das Ciências Sociais, bem como o fortalecimento do intercâmbio e da cooperação entre instituições e pesquisadores dentro e fora da região. Da mesma forma, promove ativamente a difusão do conhecimento produzido pelos cientistas sociais entre os movimentos sociais, as organizações populares e as entidades da sociedade civil. Através destas atividades, CLACSO contribui a repensar, a partir de uma perspectiva crítica e pluralista, a problemática integral das sociedades da América Latina e Caribe.

Origens

A criação de CLACSO remonta a 1964, ano em que se realizou em Buenos Aires a Conferência sobre Sociologia Comparada, organizada pelo Instituto Torcuato Di Tella, co-patrocinada pela International Social Science Council (ISSC) e a UNESCO. Por iniciativa dos participantes latino-americanos, nessa reunião se aprovou uma resolução que começou o processo de criação de um organismo para promover a coordenação e articulação entre as instituições dedicadas ao ensino e à pesquisa em Ciências Sociais na região. Uma cooperação maior e mais ativa entre essas instituições foi identificada como uma necessidade urgente. Criar um organismo para o efeito era, então, um desafio ineludível.

Dois anos mais tarde foi chamada a Comissão Organizadora deste organismo, que contou com a destacada participação de Enrique Oteiza, Aldo Ferrer, Osvaldo Fals Borda, Felipe Herrera, Hélio Jaguaribe, Luis Lander, José Matos Mar, Carlos Massad, Raúl Prebisch e Víctor Urquidi. Em outubro de 1966, na Universidade Central de Venezuela, Caracas, foi realizada a Primeira Reunião Latino-americana de Diretores de Centros e Institutos de Pesquisa em Ciências Sociais, ocasião em que foi criada uma nova Comissão Organizadora, esta vez composta por Francisco Ortega, José Matos Mar, Luis Ratinoff, Víctor Urquidi, Aldo Ferrer e Enrique Oteiza.

O 14 de outubro de 1967 teve lugar no CEDES da Universidad de los Andes, Bogotá, a Segunda Reunião de Diretores de Centros e Institutos de Pesquisa em Ciências Sociais, onde a referida Comissão apresentou a proposta que estabeleceria formalmente a criação do Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (CLACSO). Naqueles dias históricos, também se aprovaram os estatutos de fundação, foi eleito o primeiro Comitê Diretivo, Aldo Ferrer foi designado como o primeiro Secretário Executivo e foram designados os primeiros coordenadores das Comissões e Grupos de Trabalho por meio dos quais começariam as atividades acadêmicas do novo Conselho.

Quarenta anos de compromisso com o desenvolvimento das Ciências Sociais e do pensamento crítico

Nos seus quarenta anos de história, o Conselho Latino-americano de Ciências Sociais tem desempenhado um papel muito importante no desenvolvimento da pesquisa social e do pensamento crítico, na defesa dos Direitos Humanos e na Promoção das Ciências Sociais na América Latina e Caribe. Tendo agrupado inicialmente 60 centros de pesquisa de vários países da região, CLACSO não parou de crescer, e é na atualidade uma das mais atuantes redes acadêmicas destinadas a promover a cooperação e o intercâmbio entre instituições de formação e pesquisa no campo das Ciências Sociais.

Um breve resumo da história institucional de CLACSO nos permite pôr em destaque algumas características que marcaram seu desenvolvimento. Neste sentido, sobressai a vontade de integração regional que tem definido as ações do Conselho desde a sua fundação. Através da identificação de problemas e interesses comuns, o organismo tem contribuído para superar muitas das barreiras de comunicação existentes, promovendo programas e iniciativas articuladas que têm atingido alto impacto e relevância regional. Entre essas ações destaca, sem dúvida, o programa temático de Grupos de Trabalho, que desde 1967 convoca centenas de pesquisadores através da realização de seminários e debates internacionais e do fomento ao desenvolvimento de pesquisas e estudos colaborativos, bem como por meio de uma intensa produção editorial que tem nutrido o pensamento social crítico em todos os países da região. A já icônica coleção Biblioteca de Ciências Sociais foi uma das primeiras a fornecer um espaço essencial para a publicação de livros e a distribuição de textos seminais em vários campos da pesquisa e a teoria social, desenvolvidas pela intelectualidade de América Latina e Caribe entre os anos sessenta e oitenta.

O estabelecimento e posterior desenvolvimento de CLACSO têm sido marcados pela instabilidade política que a região tem experimentado nas últimas décadas. As cruentas ditaduras militares e, em muitas ocasiões, a fragilidade dos governos democráticos têm sido um fator que tem limitado ou bloqueado o desenvolvimento das Ciências Sociais na América Latina e Caribe, proporcionando um cenário de desequilíbrios institucionais e desigualdades sociais que tem intensificado o desafio assumido pelo Conselho na sua defesa da liberdade acadêmica, o pensamento crítico, a autonomia universitária e os Direitos Humanos. Durante os anos setenta e oitenta, o Conselho organizou programas acadêmicos, cujo principal objetivo foi salvar a vida de muitos intelectuais latino-americanos perseguidos por regimes ditatoriais, contribuindo assim a garantir a sobrevivência de uma produção intelectual autônoma e crítica no nosso continente.

No contexto dos processos de transição democrática que muitos países latino-americanos viveram na década de oitenta, CLACSO desempenhou um papel muito importante na reconstrução das instituições acadêmicas públicas, além da promoção de iniciativas de intercâmbio e cooperação que contribuíram para a obtenção de financiamento externo, fundamental para a institucionalização das Ciências Sociais em toda a região. Foram anos de grande desenvolvimento dos Grupos de Trabalho e do Programa de Bolsas, bem como de consolidação da política editorial realizada desde a fundação do Conselho. Os processos de transição democrática e, nesse contexto, a reconstrução das instituições de pesquisa e ensino no campo das Ciências Sociais consolidaram a presença regional de CLACSO, ampliando significativamente o seu campo de ação.

A década de noventa, em um cenário marcado pela proliferação de governos conservadores e neoliberais em todo o continente, atualizou e redefiniu os desafios institucionais do Conselho. Durante estes anos, atravessados por uma brutal ofensiva de privatização, CLACSO deu continuidade aos seus programas acadêmicos, tornando-se, ao mesmo tempo, em um precursor da utilização plena e criativa das novas tecnologias de informação e comunicação, a fim de promover e incentivar a democratização do acesso ao conhecimento produzido pela pesquisa social da América Latina e do Caribe. Nesta nova fase, o Conselho avançou de forma significativa na construção de uma rede telemática para ligar mais de 5.000 pesquisadores dos centros afiliados, e lançou uma Biblioteca Virtual com acesso livre e gratuito a um grande corpo de textos acadêmicos integrais.

O novo milênio marcou a consagração de CLACSO como uma fonte vital de intercâmbio, apoio e promoção da pesquisa, do ensino e do fornecimento de recursos acadêmicos em toda a região. Este impressionante crescimento como a relevância político institucional do Conselho têm sido possíveis graças ao inestimável aporte da Agência Sueca de Desenvolvimento Internacional (ASDI), uma organização que na última década tem apoiado ativamente o plano de trabalho desenvolvido. Nos últimos anos, a proliferação de Grupos de Trabalho e suas atividades; o aumento dos subsídios concedidos pelo Programa Regional de Bolsas; a expansão do Campus Virtual, da Rede Acadêmica Eletrônica e da Biblioteca Virtual; o grande número de publicações editadas; a consolidação de iniciativas como o Observatório Social da América Latina e o Programa de Produção de Mídia; e a criação de instâncias de cooperação com organizações internacionais de outros continentes, como é o caso dos programas Sul-Sul e CLACSO-CROP, são algumas evidências do crescimento exponencial experimentado pelo Conselho neste período.

Hoje, a continuidade e a expansão da rede institucional e dos programas tradicionalmente impulsados pelo Conselho; a penetração gradual de CLACSO além das grandes áreas metropolitanas e, particularmente, em alguns dos países mais pobres na região; o consequente fortalecimento das Ciências Sociais nos países com uma fraca estrutura acadêmica e condições materiais limitadas para sua institucionalização; o desenvolvimento de estratégias sinérgicas para reforçar a cooperação regional e as parcerias regionais; a profissionalização das tarefas administrativas e de gestão realizadas pela Secretaria Executiva; a implementação de estratégias de trabalho cooperativo e a geração de modos participativos de planejamento e gestão dos programas realizados, bem como a expansão das fontes de financiamento, são alguns dos desafios inevitáveis ​​no horizonte de uma rede acadêmica que tem sido fortalecida e tem aumentado as suas áreas de intervenção, agrupando as instituições mais prestigiadas e reconhecidas das Ciências Sociais contemporâneas.

Autoridades

Assembleia Geral

A Assembleia Geral é o órgão máximo de governo, e representa a suprema decisão em todos os assuntos relativos ao Conselho. Atualmente, a Assembleia Geral é convocada cada três anos e as suas sessões ordinárias reúnem todos os representantes dos centros acadêmicos que compõem a rede institucional.

As suas principais atribuições são: escolher o Secretário Executivo e os membros do Comitê Diretivo; decidir sobre os relatórios, os balanços financeiros e o orçamento das receitas e despesas; decidir sobre a afiliação e/ou retirada de Centros membros conforme a proposta doComitê Diretivo; e fornecer orientações sobre o conteúdo do programa de trabalho proposto para o período imediato.

Comitê Diretivo

É composto por oito membros titulares e oito suplentes, nomeados pela Assembleia Geral para exercer as suas funções em nome das instituições das suas respectivas áreas geográficas de pertença.

Os representantes permanecem no cargo por três anos, e até quatro deles podem ser reeleitos só uma vez para o período imediatamente seguinte.

Comitê Diretivo Histórico

Desde a sua fundação, importantes acadêmicos, cientistas sociais e pesquisadores fizeram parte do Comitê Diretivo do Conselho e, em alguns casos, também coordenaram Comissões e Grupos de Trabalho de CLACSO

Secretaria Executiva

O Secretário Executivo tem, entre as suas atribuições e competências: preparar o plano de trabalho, o orçamento e os relatórios das atividades do Conselho; nomear os funcionários daSecretaria Executiva e determinar a sua remuneração dentro do orçamento aprovado; procurar o conselho de entidades e pessoas especializadas para o melhor atendimento dos objetivos da instituição; estabelecer um sistema de contabilidade conveniente e garantir a sua consecução; informar regularmente ao Comitê Diretivo sobre o progresso das atividades; atender a cobrança de receitas e ter em custódia os fundos, os títulos e os valores do Conselho; e representar o Conselho judicialmente e extrajudicialmente.

O Secretário Executivo Adjunto tem a função de acompanhar o Secretário Executivo em todos os seus compromissos e deveres, assegurando a efetiva implementação do programa de trabalho aprovado pela Assembleia Geral, e garantindo os procedimentos e fluxos de trabalho adequados para este fim. Neste sentido, é responsável pela distribuição e alocação de tarefas relativas às áreas, setores e programas da Secretaria Executiva. Especificamente, é responsável pela coordenação da Área Acadêmica da instituição. Também é o encarregado de aprovar as transações financeiras diárias relativas às diversas atividades promovidas pela Secretaria Executiva.

Relatórios e Comunicações Institucionais

A Secretaria Executiva elabora periodicamente relatórios detalhados sobre as atividades acadêmicas e de gestão realizadas por cada uma das Áreas e Programas do Conselho. Estes documentos são submetidos à consideração do Comitê Diretivo e da Assembleia Geral em suas reuniões ordinárias, e são distribuídos aos/as diretores/as dos Centros Membros. Estes são um contributo essencial para as reuniões com os/as diretores/as dos Centros Membros no momento de socializar informações, realizar balanços e antecipar os desafios para a elaboração de políticas de ação institucional.

Centros Membros

CLACSO é uma rede formada por instituições públicas ou privadas que desenvolvem trabalhos de pesquisa, formação e extensão no campo das Ciências Sociais. Os Centros afiliados ao Conselho pagam uma taxa anual sob a categoria de Centro membro pleno ou de Centro membro associado.

Os Centros membros plenos são instituições da América Latina e Caribe que podem se beneficiar de subcontratos, subsídios de pesquisa e bolsas concedidas pelo Conselho. Eles participam com voz e voto nas deliberações da Assembleia Geral.

Os Centros membros associados são instituições com sede fora da América Latina e Caribe dedicadas a trabalhar sobre a região. Estes têm os mesmos direitos e deveres como os primeiros, exceto pelo voto na Assembleia Geral e a possibilidade de se beneficiar com a transferência direta de recursos.

Sobre Denis Wesley

Pode invadir ou chegar com delicadeza Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir... Não grite comigo, eu tenho o péssimo hábito de revidar... Tenha vida própria, me faça sentir saudades... Conte umas coisas que me façam rir... Acredite nas verdades que digo e nas mentiras, elas serão raras, mas sempre por uma boa causa... Respeite meu choro... Deixe-me sozinho, só volte quando eu chamar, e não me obedeça sempre é que eu também gosto de ser contrariado... Invente um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o inverta as vezes... Então: Sou Denis Wesley, muito prazer.

Publicado em 18/08/2013, em CLACSO - Conselho Latino-americano de Ciências Sociais. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: